segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Clube Atlético Itapemirim


Nome : Clube Atlético Itapemirim
Data : 5 de dezembro de 1965
Local : Itapemirim
Estádio : José Olívio Soares
Capacidade : 2.000 mil pessoas
Títulos : Campeão Capixaba Série A 2017 (invicto)
Campeão Copa Espírito Santo 2017
Campeão Sulino 2006,2007 e 2010
Vice Campeão Capixaba Série B 2014, Vice Campeão Copa Espírito Santo 2014

Modelo antigo

Resultado de imagem para estadio josé olivio
Estádio José Olívio Soares

O Atlético Itapemirim nasceu através funcionários do Banco do Brasil que vieram de Minas Gerais para trabalhar na primeira agência em Itapemirim Sul do Espírito Santo, por isso o escudo, cores e nomes são claras alusões ao Clube Atlético Mineiro de Belo Horizonte, inclusive o mascote do CAI como é conhecido o clube capixaba é o Galo da Vila. 
Já o  Estádio José Olívio é em homenagem a outro de seus fundadores, José era carioca e botafoguense, e tinha desejo de levar o escudo do Botafogo no peito do Atlético, mas a maioria mineira venceu, portanto ficou o escudo e nome com referências ao clube mineiro e o uniforme referente ao clube carioca.
Mesmo com mais de 50 anos de fundação, somente em 2011 o CAI se torna profissional, antes disso o time conquistou vário troféus no futebol amador, foi tricampeão no Campeonato Sulino 2006, 2007 e 2010, em 2004 conquistou até o Sulino de futebol feminino. 
Em 2014 ano de sua primeira competição profissional o Atlético chegou ao vice campeonato, no mesmo ano chegou também ao vice da Copa Espírito Santo. Em 2015 disputou pela 1ª vez a série A. chegando ao Hexagonal Final ficando em 5º lugar entre 10 equipes. 
Mas em 2017 nem o mais otimista atleticano esperaria um ano tão vitorioso, estadual e Copa ES algo inédito no estado.

A estréia profissional do Atlético foi em 25 de janeiro de 2014, começou com goleada de 3x0 sobre o Grêmio Laranjeiras em casa, Luiz Mário, Anderson Manga e Anderson Braúna fora os autores dos gols do alo da Vila.
Nesta Série B capixaba o Atlético na primeira fase venceu 9 das 14 partidas que disputou, dessas 9 vitórias destaque para os 4x0 aplicados no Serra em pleno Estádio Robertão. 
Após ser líder da 1ª fase o CAI foi para o quadrangular final contra Rio Branco, Serra e Sport Capixaba. Após 2 empates com Serra e Sport enfim venceu uma partida na 2ª fase, 1x0 sobre o Rio Branco fora de casa. na rodada seguinte após derrotar o Serra por 2x1 também fora de casa o galo deu um grande passo rumo a Série A 2015. O CAI chegou na última rodada precisando apenas de um empate com o Rio Branco em casa para conquistar o acesso inédito, fez melhor ainda, para alegria de Itapemirim o CAI fez melhor e venceu por 2x1 gols de Celiton e Bruno Reis, a festa só não foi maior pois o Sport goleou o Serra por 5x2 e conquistou o título deixando o Atlético com o vice.


Fachada do Estádio José Olívio Soares com escudo pintado antigo no portão


No segundo semestre o Atlético entrou na Copa Espírito Santo pela primeira vez. Estreou com derrota por 3x1 contra a Desportiva no Eng Araripe, esta foi a única derrota na 1ª fase, depois vieram 5 vitórias e 2 empates, classificação para a fase final em 2º lugar com 17 pontos.
Na semi final o CAI enfrentou o Rio Branco melhor time da 1ª fase, não tomou conhecimento e venceu em casa por 3x1 abrindo grande vantagem para a partida de volta. Na volta a derrota por 1x0 fez com que a equipe fosse uma das finalistas na Copa ES. O CAI mostrava que o Rio Branco teria sempre vida dura contra eles, afinal no começo do ano o Atlético eliminou a chance do adversário subir para a 1ª divisão oque só foi possível no fim do ano após uma desistência do Colatina após estranha modificação no regulamento do estadual que previa que em caso de desistência e de algum clube a Série A seria disputada pelos times confirmados (exemplo 2014 Aracruz desistiu da competição que foi disputada por 9 equipes), a mudança colocava o 3º colocado da Série B como o 1º substituto da vaga em caso de desistência na Série A. E no 2º semestre eliminou eles da vaga na final em busca de um título.
Na final em dois confrontos contra o Real Noroeste o CAI acabou derrotado na partida de ida por 2x1, partida que não aconteceu em Itapemirim e sim no Eng Araripe pois o José Olívio não possuía a capacidade mínima exigida pela FES para a final. Na volta empate em 1x1 com isso o CAI chegava ao vice da competição.

Em 2015 o CAI disputa sua primeira Série A, e o início não poderia ser mais empolgante, goleada por 4x1 sobre o Sport no Estádio Sumaré pois o José Olivio recebia reformas para aumentar sua capacidade. Michel aos 15 do 1º tempo marcou o primeiro gol do CAI na Série A, Zizu, Anderson Sorriso e Ronicley marcaram os outros 3, David ainda descontou para o Sport. Na rodada seguinte outro grande resultado, vitória por 2x1 sobre a Desportiva no Eng Araripe, mas depois o time puxou o freio de mão e com salários atrasados empatou 4 e perdeu uma, mesmo assim conquistou a vaga no Hexagonal Final.
Campanha estadual 2015
1ª Turno
Atlético 4x1 Sport 
Desportiva 1x2 Atlético 
Atlético 1x0 Estrela 
Castelo 0x0 Atlético
Returno
Sport 1x1 Atlético 
Atlético 0x0 Desportiva
Estrela 1x0 Atlético 
Atlético 1x1 Castelo 

No Hexagonal a história da 1ª fase se repetiu, começo ótimo com duas vitórias, 1x0 sobre o Estrela e 1x0 sobre o Linhares. Mas depois disso as vitórias pararam, derrotas para Real Noroeste, Rio Branco, Desportiva, Linhares e Real Noroeste e Rio Branco novamente deixaram a equipe apenas em 5º lugar com 10 pontos 12 atrás do Rio Branco e 7 atrás da Desportiva classificados para a final.

Hexagonal final
Estrela 0x1 Atlético 
Atlético 1x0 Linhares 
Real Noroeste 4x2 Atlético 
Atlético 1x2 Rio Branco 
Atlético 0x1 Desportiva 
Atlético 3x1 Estrela
Linhares 2x0 Atlético 
Atlético 1x3 Real Noroeste 
Rio Branco 1x0 Atlético 
Desportiva 1x1 Atlético

Ainda em 2015 o CAI voltou suas atenções para a Copa Espírito Santo, atual vice campeão recebia uma boa expectativa e relação a sua participação. Foram 7 vitórias, 3 empates e 2 derrotas em 12 partidas na 1ª fase, destaque para os 3x0 sobre o Doze F.C.
Agora nas semi finais a reedição da final de 2014, o Real Noroeste estava atravessado na garganta do Galo da Vila, na partida de ida em Águia Branca o Galo bicou e voltou com empate em 0x0, agora novo empate em casa dava a classificação a outra final, mas o Real aprontou e venceu por 2x1 com gol nos lances finais repetindo a história do ano anterior.

Em 2016 o CAI disputa a Série A pela segunda vez em sua história e após 2 vitórias, 4 empates e 2 derrotas na 1ª fase avança após empate dramático em 0x0 com Espírito Santo da Serra, somado a derrota do Estrela por 1x0 para a Desportiva pois em caso de vitória do Estrela o CAI seria eliminado no número de vitórias.
No Hexagonal as 3 primeiras rodadas deixaram o Galo da Vila distante das vagas, foram duas derrotas Rio Branco e Real Noroeste fora e empate em casa com a Desportiva, após a vitória frente ao Linhares o time até ganhou vida mas não teve forças, acabou lanterna da fase com 9 pontos com apenas duas vitórias em 10 jogos. 

No segundo semestre mais uma Copa Espírito Santo pela frente, após conquistar a vaga na semi final com 5 vitórias 1 empate e 2 derrotas o Atlético enfrentaria o Espírito Santo da Serra, mas a classificação foi conquistada apenas na última rodada, o CAI goleou o Vilavelhense por 5x1 e graças ao empate entre Desportiva e Vitória avançou, pois uma vitória da Desportiva eliminaria o Galo da Vila pela 1ª vez ainda na 1ª fase da Copa ES.
na partida de ida das semi finais o CAI venceu por 1x0 jogando agora pelo empate na volta, mas o Espírito Santo no sufoco venceu por 2x1 e por ter melhor campanha avançou para a final adiando mais uma vez o sonho do CAI ser campeão.
No mesmo ano o Atlético voltou a enfrentar o Espírito Santo, desta vez pelo Torneio Seletivo que decidia ao lado da Desportiva Ferroviária o representante no Campeonato Brasileiro Série D, o Espírito Santo entrou por ser o vice Campeão Capixaba 2016, o Atlético por ser semi finalista da Copa ES 2016. Na partida de ida em Itapemirim o Atlético decepcionou e acabou sendo derrotado em casa por 1x0, na volta não teve forças para reverter o resultado e com o 0x0 viu mais um vez o adversário ser finalista. 
Em 2017 enfim o CAI conquista seu primeiro campeonato profissional, e a conquista foi história por vários motivos que serão vistos a baixo.
A campanha começou com empate em casa em 1x1 com a Desportiva, oque acontece quase sempre entre as equipes, na rodada seguinte vitória por 1x0 sobre o Linhares que jogou em Jaguaré esta partida, na 3ª rodada o Atlético foi visitante em sua casa pois o mando decampo pertenceu ao Doze F.C, não fez diferença pois o CAI venceu por 2x0, agora como mandante o CAI fez outra vítima no José Olívio, 2x0 sobre o Rio Branco. Aqui a equipe era líder isolada e ao golear o Tupy também em Itapemirim por 4x0 disparou na frente, a série de vitórias parou no empate em 2x2 com Espírito Santo no Kleber Andrade, na 7ª rodada voltou a vencer, agora 2x1 sobre o São Mateus no Sernamby colocando os pés na semi final, empate com Vitória em 1x1, vitória por 3x1 sobre o Real Noroeste deram a liderança e vantagem no mata mata para o CAI.
Nas semi finais o surpreendente Tupy de Vila Velha que pela primeira vez avançava de fase no estadual, mas logo na ida o CAI praticamente sacramentou sua vaga na final, com apenas 2 minutos de jogo Weliton faz 1x0 , no segundo tempo, aos 26 minutos, Wendel chuta para ampliar para o Galo da Vila marcando 2x0 no Kleber Andrade. Na volta no José Olívio jogou com regulamento e quando Giovani Pedrini marcou contra fazendo 1x0 CAI no fim do primeiro tempo a equipe ficou ainda mais perto da vaga inédita, nem o gold e empate do Tupy com Giovani Pedrini agora a favorassutou ou diminiui a festa. 
Agora uma final inédita no estadual, de um lado o Atlético Itapemirim do outro Doze Futebol Clube. 
Na partida de ida no Estádio Kleber Andrade o CAI passou por apuros, depois de um primeiro tempo sem gols a equipe viu o Doze abrir 2x0 com Marcone aos 21 e com Chiquinho aos 34, o CAI teve que se superar pois não sabia oque era derrota neste estadual e foi atrás descontando com 44 em lance infeliz de Marcone que marcou gol contra, mas a partida ainda não havia terminado e aos 47  Wendel em cobrança de pênalti igualou tudo deixando o Atlético a um empate do título inédito, ao Doze restava junta os cacos desta partida que estava nas mãos. 6 de maio Estádio Mário Monteiro "Sumaré" em Cachoeiro de Itapemirim, 90 minutos separavam as duas equipes do título, o Doze precisava da vitória para conquistar o título, mas o CAI foi quem chegou mais perto ao acertar a trave, mas quem não faz leva e o Doze, aos 12 minutos marcou na bola para com  Cassio de falta, 10 minutos mais tarde Marcos Felipe deixou tudo igual no Sumaré, aos 31 outra penalidade para o Atlético e Wendel pega a bola bate e faz, agora poendo sofrer um golo CAI controlou a partida e levou ela até o fim, como em 2016 o estadual de 2017 era encerrada com gol de pênalti do campeão, Atlético 2x1 Doze, título histórico, primeiro por ser o primeiro da equipe, outro por ser de forma invicta com 8 vitórias e 5 empates, para se ter idéia da dificuldade de ser campeão invicto no capixabão é que Desportiva em 1965 e Serra em 2004 foram os últimos a conquistar tal façanha.


Bela imagem dos campeões invictos de 2017

No 2º semestre o CAI não parou e como quem não queria nada avançou as semi finais da Copa Espírito Santo na chave com Desportiva, Vitória, Sport Capixaba e Linhares, o início não foi empolgante, prova disso é que a estréia em casa foi com derrota oque ainda não havia acontecido em 2017 3x2 para a Desportiva, a recuperação veio com 2x1 sobre o Vitória no Salvador Costa e 3x1 sobre Linhares em casa, o empate em 1x1 com Sport deu uma esfriada na reação, mas os 2x0 no mesmo Sport e 3x0 no Linhares ambos pelo returno recolocaram o CAI na zona de classificação, mas a derrota por 1x0 em casa para o Vitória botou em xeque a vaga, agora era derrotar a Desportiva para avançar, e o CAI conseguiu por 1x0 mas não foi nada fácil mesmo com a Desportiva usando time misto por estar classificada o gol da classificação só ocorreu depois dos 45 do 2º tempo.
Agora nas semi finais o Rio Branco adversário que trás boas recordações, maior prova disso a partida de acesso do Atlético em 2014 na Serie B, na ida em casa o CAI venceu por 1x0 e levou a vantagem do empate na volta. Porém mesmo com a vantagem a equipe de Itapemirim não jogou pelo resultado, prova disso que venceu também por 1x0 na volta no Kleber Andrade.
A final inédita contra o Espírito Santo foi equilibrada, na ida no Kleber Andrade empate em 0x0, na volta que fi disputada no Estádio Sumaré em Cachoeiro de Itapemirim Geraldo marcou 1x0 CAI aos 44 do 2º tempo, seria este o gol do título mas após saída errada do gol de Bambu o Espírito Santo empatou dois minutos depois com Makelele, fim de papo 1x1 e pela primeira vez a Copa Espírito Santo seria decidida nos pênaltis.
O Espírito Santo já havia participado e perdido uma decisão por pênaltis em 2017, foi por 4x2 para o Operário/PR na Série D do Brasileiro.
O Atlético começou com Juninho, Makelele empatou. Rodolfo fez 2x1 e Serrano igualou novamente, Rhayne fez e Ranieri também, na cobrnça seguinte Chiquinho fez 4x3 CAI e Bambu que era o vilão depois da falha defendeu a cobrança de Matheus do Rosário agora passando para herói, na cobrança seguinte o Atlético poderia ser o campeão e Wagner Carioca não perdeu a oportunidade e marcou o gol do título encerrando a decisão de pênaltis em 5x3 Atlético. Era mais um título inédito e pela primeira vez desde 2003 com a criação da Copa Espírito um mesmo clube conquistava o título estadual e a Copa ES no mesmo ano fechando o ano perfeito.

Algumas imagens da história do Atlético Itapemirim!!!

CAI nos anos 80. Em pé : Simplicio, Zerinho, Calú, Zé Maurilio, Rebolado, Cebinho e Aurivan. Agachados: Solimar, Bernardo, Noquinha, Kará e Batista Cobrinha.




CAI anos 80. Em pé: Zé Maurilio, Aurivan, Enos, Mauro Gazzani, Genivaldo e Bernardo. Agachados: Solimar, Noquinha, Batista Cobrinha, Ratinho e Zé Davi.


CAI anos 90. Em pé: Calú, Aurivan, Souza, Zé Maurilio e Machado
Agachados: Erivelton, Miquimba, Marcinho Tokiquinho, Marcinho Peixoto, Samarone e Betinho.




CAI nos anos 90. Em pé: Wendell, Fabricio, André, Paulinho, Ronald, Weriton, Vinicios, Agnaldo, Cesar e Alex. Agachados: Getúlio, Anderson, Serginho, Gegê, Edmilson, Lalo, Marciano e Sandro.










Nenhum comentário:

Postar um comentário