terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Maiores goleadas do Campeonato Capixaba Feminino

Oficialmente o Campeonato Feminino de Futebol começou ser disputado em 2010, de lá pra cá 3 equipes foram campeãs e dominam a competição, o Vila Nova de Vila Velha é a maior campeã com 6 títulos (2010, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019) além de 2 vices (2011 e 2014), o Comercial de Castelo é tri (2012, 2013 e 2014) vice em (2010 e 2016) e o Colatina em 2011 foi a única equipe a quebrar esse domínio de Vila e Comercial. Projeto SELC (Projeto Social Esporte Lazer e Cultura) da Serra 2013 e 2015 possuí dois vices, mesmo número de vices do Prosperidade de Vargem Alta,  Unesc Colatina vice em 2012 e Capixaba de Anchieta em 2018 fecham a seleta lista de finalistas.

No futebol feminino como todos sabem que existe uma disparidade gritante, e isto resulta em grandes  goleadas, aqui listaremos as maiores goleadas da competição. Critério adotado é o clássico 5x0, a partir destes resultados montamos a lista que possui ao todo 60 goleadas registradas. Lembrando que 2012 não foram encontradas todas as partidas.

A maior goleada de todas as edições aconteceu logo na primeira edição do campeonato, o Colatina aplicou impiedosos 17 a 0 no João Neiva no Estádio Justiniano Melo e Silva em Colatina . 

Em 2014 Comercial de Castelo jogando no Estádio Emilio Nemer aplicou 16x0 sobre o Jardinense, está foi a maior goleada de um visitante até hoje na competição.

Em 2017 o Vila Nova aplicou a maior goleada em mata mata, a vítima foi João Neiva em pleno Estádio Artêmio Sarcinelli, humilhantes 10x0 e na casa das adversárias. Outro recorde do Vila Nova ocorreu em 2018 quando aplicou a maior goleada em finais, 5x1 no Capixaba de Anchieta, detalhe curioso é que na última rodada da 1ª fase 4 dias antes o Capixaba havia aplicado 5x1 no próprio Vila, esta derrota acabou com período de 3 anos e 3 meses sem derrota do Vila, na época até se levantou a possibilidade de combinação de resultados pois com esta vitória o Capixaba avançou eliminando o Prosperidade. Mas nada se provou sobre a denúncia. 

Mostrando que é uma máquina de golear o Vila aparece no top 5 com 14x0 no Jardinense em 2015 no Campo da Ilha dos Bentos Vila Velha. 13x0 no Anchieta em 2014 no Campo de Vale Encantado Vila Velha e 12x0 no Vilavelhense em 2019 no Campo de Novo México Vila Velha.

Vila Nova aparece 26 vezes na lista, a única como goleada em duas como goleada, 5x1 do Capixaba já citado aqui e os 6x1 sofridos frente ao Comercial de Castelo em 2013. Para se ter noção da diferença o Comercial aparece "apenas" 10 vezes na lista, todas como time vencedor. O Colatina que possui a maior goleada aparece apenas 5 vezes, todas como goleadora.



Vila Nova maior campeã estadual feminina



Comercial de Castelo segunda maior campeã capixaba


Colatina única equipe que conseguiu tirar um título da dupla papa títulos




Capixaba 2010

Colatina (Colatina)

17x0

João Neiva (João Neiva)


Capixaba 2014

Jardinense (Vila Velha)

0x16

Comercial (Castelo)


Capixaba 2015

Vila Nova (Vila Velha)

14x0

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2014

Vila Nova (Vila Velha)

13x0

Anchieta (Anchieta)


Capixaba 2019

Vila Nova (Vila Velha)

12x0

Vilavelhense (Vila Velha)


Capixaba 2014

Colatina (Colatina)

11x0

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2010

Guaraná/Racing (Aracruz)

10x0

João Neiva (João Neiva)


Capixaba 2013

Projeto Selc (Serra)

10x0

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2017

João Neiva (João Neiva)

0x10

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2017

Vila Nova (Vila Velha)

10x1

Vilavelhense (Vila Velha)


Capixaba 2016

Piúma ( Piúma)

1x9

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2014

Jardinense (Vila Velha)

0x8

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2010

Linhares (Linhares)

8x0

João Neiva (João Neiva)


Capixaba 2010

João Neiva (João Neiva)

0x8

Mucurici/Belenense (Mucurici)


Capixaba 2013

Jardinense (Vila Velha)

0x8

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2015

Jardinense (Vila Velha)

0x8

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2017

João Neiva (João Neiva)

0x8

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2012

Vila Nova (Vila Velha)

8x1

Desportiva (Cariacica)


Capixaba 2010

Comercial (Castelo)

7x0

Gel Laranjeiras (Serra)


Capixaba 2010

Gel Laranjeiras (Serra)

0x7

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2014

Anchieta (Anchieta)

0x7

Comercial (Castelo)


Capixaba 2015

Raridade (Marataízes)

0x7

Comercial (Castelo)


Capixaba 2015

Vila Nova (Vila Velha)

7x0

Galácticas (Cariacica)


Capixaba 2017

Vila Nova (Vila Velha)

7x0

Boa Esperança ( Boa Esperança)


Capixaba 2019

América (Guarapari)

0x7

Prosperidade (Vargem Alta)


Capixaba 2019

Vila Nova (Vila Velha)

7x0

Feu Rosa (Serra)


Capixaba 2012

Desportiva (Cariacica)

1x7

UNESC (Colatina)


Capixaba 2019

Alagoano (Vitória)

1x7

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2017

João Neiva (João Neiva)

2x7

Prosperidade (Vargem Alta)


Capixaba 2017

Prosperidade (Vargem Alta)

7x2

Galácticas (Cariacica)


Capixaba 2011

Projeto Selc (Serra)

0x6

Colatina (Colatina)


Capixaba 2014

Anchieta (Anchieta)

6x0

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2014

Vilavelhense (Vila Velha)

0x6

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2010

Guaraná/Racing (Aracruz)

1x6

Colatina (Colatina)


Capixaba 2012

Projeto Selc (Serra)

6x1

Desportiva (Cariacica)


Capixaba 2013

Comercial (Castelo)

6x1

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2015

Raridade (Marataízes)

1x6

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2019

Vila Nova (Vila Velha)

6x1

Capixaba ( Anchieta)


Capixaba 2010

Gel Laranjeiras (Serra)

2x6

Comercial (Castelo)


Capixaba 2012

UNESC (Colatina)

6x2

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2015

Galácticas (Cariacica)

2x6

Comercial (Castelo)


Capixaba 2011

Vila Nova (Vila Velha)

5x0

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2010

Vila Nova (Vila Velha)

5x0

Projeto Selc (Serra)


Capixaba 2010

João Neiva (João Neiva)

0x5

Guaraná/Racing (Aracruz)


Capixaba 2010

Linhares (Linhares)

5x0

Mucurici/Belenense (Mucurici)


Capixaba 2015

União Piranema/Selc

5x0

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2015

Jardinense (Vila Velha)

0x5

Comercial (Castelo)


Capixaba 2017

Vila Nova (Vila Velha)

5x0

Galácticas (Cariacica)


Capixaba 2019

Serra (Serra)

5x0

Vilavelhense (Vila Velha)


Capixaba 2013

Comercial (Castelo)

5x1

Jardinense (Vila Velha)


Capixaba 2010

Mucurici/Belenense (Mucurici)

1x5

Colatina (Colatina)


Capixaba 2010

João Neiva (João Neiva)

1x5

Linhares (Linhares)


Capixaba 2012

UNESC (Colatina)

1x5

Comercial (Castelo)


Capixaba 2014

Vilavelhense (Vila Velha)

1x5

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2016

Vila Nova (Vila Velha)

5x1

Piúma (Piúma)


Capixaba 2016

Piúma ( Piúma)

5x1

PSNE São Pedro(Vitória)


Capixaba 2017

Prosperidade (Vargem Alta)

5x1

Boa Esperança ( Boa Esperança)


Capixaba 2018

Prosperidade (Vargem Alta)

1x5

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2017

Capixaba ( Anchieta)

1x5

Vila Nova (Vila Velha)


Capixaba 2017

Capixaba ( Anchieta)

1x5

Vila Nova (Vila Velha)


Bônus

Em 2012 UNESC Colatina e Comercial disputaram a grande final, e ali aconteceu a maior virada da competição, na partida de ida a UNESC venceu por 5x2 no Justiniano Melo e Silva em Colatina. Na volta o Comercial aplicou 4x0 no Emilio Nemer e conseguiu o título em uma virada espetacular marcando 3 gols no 2º tempo. .

sábado, 24 de outubro de 2020

Campeões Interligas Espírito Santo



Interligas é uma competição de futebol amador organizada pela Federação de Futebol do Espírito Santo FES, equivalente ao Campeonato Capixaba de futebol amador.  É principal título que uma equipe amadora pode conquistar no estado do Espírito Santo.

Ela é disputada desde 2000, o tradicional Caxias de Vitória, time da Polícia Militar, inaugurou a galeria de campeões ao derrotar o também muito tradicional 138 Unidos da Vale de Vila Velha, em 2019 o União de Jucu chegou a sua 1ª conquista em uma final inédita contra o Golfinho de Linhares.


 Os campeões

Associação Esportiva Carapina 
04 de setembro de 2001 na Serra
Campeão 2006, 2007, 2008 e 2010
vice campeão 2009

Democrata Futebol Clube de São Conrado 
15 de novembro de 1979 em Cariacica
Campeão 2004,2007 e 2009

Esporte Clube Itaquari 
07 de setembro de 1959 em Cariacica
Campeão em 2002 e 2003 


Caxias Esporte Clube
06 de setembro de 1940 em Vitória
Campeão em 2000

Esporte Clube Belenense
14 de fevereiro de 1981 em Vitória
Campeão em 2001
Vice campeão em 2005 e 2010

Associação Atlética Portuguesa
Fundação não encontrada
Campeã em 2011

União Futebol Clube de Piranema de Cariacica
05 de março  de 1949
Campeão em 2012
Vice campeão 2016 e 2017

Esporte Clube Barrense
22 de abril de 1948 em Vila Velha
Campeão em 2013
Vice campeão 2014  

Vigserv Associação Esportiva Kenedense
Fundado no ano de 2008 em Presidente Kennedy
Campeão em 2014
Vice campeão 2015

Boca Junior Esporte Clube
10 de março de 1981 em Vila Velha
Campeão em 2015


Atlético Clube Esportivo Botafogo
11 de dezembro de 1981 em São Mateus
Campeão em 2016
 
Associação Atlética Bairro Garoto
10 de junho de 2015 em Vila Velha
Campeão em 2017

Esporte Clube Unidos da Vila
18 de fevereiro de 1970 em Vila Velha
Campeão em 2018

União Esporte Clube Jucu
08 de abril de 1972 em Viana
Campeão em 2019

Carapina é o maior campeão da competição com tetra campeonato além de 01 vice, depois vem Democrata de Cariacica com 03 títulos e único capaz de parar o Carapina em uma final. As duas equipes dominaram a competição entre 2004 e 2010, durante 07 anos só deu Carapina ou Democrata, a Portuguesa da Serra em uma conquista surpreendente acabou com este domínio. Antes deste domínio o Itaquari conquistou o primeiro bicampeonato consecutivo da competição, 

Um ano que vale a pena se lembrar em 2014, foi a primeira vez que o título da competição não foi para a Grande Vitória, coube ao VigServ de Presidente Kennedy, também conhecido como Kenedense quebrar essa hegemonia diante do Barrense que era o atual campeão. Em 2016 o Botafogo de São Mateus conquistou mais um título para o interior, diante do União Piranema de Cariacica. Em 2019 o União de Viana chegou ao 3º título do interior que nem é tão interior ainda mais pelo time jogar pela Liga de Cariacica. 


Títulos por município

Cariacica65
Serra53
Vila Velha44
Vitória11
São Mateus1-
Viana1-
Presidente  Kennedy11
Linhares-4
Marilândia-1
Nova Venécia-1
Na lista de vice campeões começamos por 138 Unidos da Vale de Vila Velha em 2000.
Ajax de Jardim Botânico Cariacica em 2001 foi vice na primeira final entre times do mesmo município. 
Em 2002 e 2003 o Tiradentes de Linhares foi vice campeão duas vezes seguidas, foi a primeira equipe do interior a chegar a final.
Em 2004 o UDNE de Nova Venécia foi vice marcando o 3º ano seguido com time do interior sendo finalista. 
Em 2005 Belenense de Goiabeiras buscava bicampeonato mas mas acabou com o 2º lugar, Em 2006 o Diamantina da Serra foi o grande vice campeão.
2007 outro vice campeonato para Linhares, desta vez com o Ipiranga FC. 
Em 2008 o Farmácia FC foi o 4º time a tentar parar o Carapina mas também acabou com o vice. 
Em 2009 o Carapina perde sua primeira e única final, mas no ano seguinte o Carapina chega ao 4º título e se isola na liderança de conquistas, passando o Democrata que havia conquistado o tri justamente contra o Carapina. 
2010 o Belenense que chega seu 2º vice e novamente contra o mesmo rival o Carapina. 
Em 2011 foi a vez do Racing de Vitória ser o vice campeão. 
Em 2012 foi a vez do São Paulo de Vila Velha levar o vice. 
Em 2013 o interior chega a mais um vice, agora o Marilândia.
Em 2014 é a vez do Barrense de Vila Velha levar o vice, após vir do título no ano anterior.
2015 VigServ de Presidente Kennedy que no ano anterior se tornou o 1º time do interior levantar a taça acaba não chegando ao bicampeonato ficando com o vice diante do Boca Junior de Vila Velha. 
Em 2016 e 2017 União de Piranema de Cariacica foi o vice campeão. 
Em 2018 Parma da Serra fica com o vice.
Em 2019 Golfinho de Linhares fecham a lista dos vice campeões do Interligas até então.

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Seletiva Capixaba Copa do Brasil 2001

 Em 2001 o Espírito Santo tinha direito a duas vagas na Copa do Brasil, uma tinha dono, a Desportiva campeão capixaba de 2000 como representante número 1, então o segundo representante seria decidido através de uma seletiva com a participação de, Cachoeiro e  Estrela de Cachoeiro de Itapemirim, Riachuelo de Aracruz, Linhares, São Mateus, Santa Maria, Rio Branco, Vitória e Serra.

O grande campeão!!!

E para surpresa se muitos Cachoeiro e Riachuelo foram os grande finalistas. O Caminho do Riachuelo teve o Vitória na 1ª fase no Estádio Ariobaldo Vieira em Barra do Riacho, Aracruz. Lá os mandantes sapecaram 4x1 na Águia de Bento Ferreira, a primeira zebra acontecia a Seletiva. 

Na fase seguinte veio o Linhares que graças ao sorteio não precisou entrar em campo para avançar. A grata surpresa voltou com o 0x0 de Linhares, deixando a decisão para Barra do Riacho, e lá no Estádio Ariobaldo Vieira, o Riachuelo se impôs e venceu por 3x1 garantindo a vaga na grande final,

Já o Cachoeiro teve em seu caminho primeiramente o Serra, avançando para encarar o seu maior rival, o Estrela do Norte em um dos clássicos mais antigos do Espírito Santo. Na partida de ida deu empate em 1x1 deixando tudo em aberto. Na volta no Estádio João Daroz, em Vargem Grande de Soturno, o Estrela começou mais bem postado em campo e com isso  criou mais chances na 1ª etapa, desfalcado de Joãozinho, o alvirrubro teve dificuldades para encontrar espaços na defesa adversária. Aos 25 minutos, Chagas cometeu pênalti em cima de Sérgio Andrade, foi a chance para o Estrela abrir o marcador. A cobrança ficou a cargo do atacante Alexandre, artilheiro do Estrela no último Campeonato Estadual de 2000. Ele cobrou com categoria e disparou no canto direito de Dirley inaugurando o placar. O Cachoeiro saiu mais para o ataque  buscando o gol e teve uma boa oportunidade aos 40 minutos, em uma cobrança de falta que Samarone chutou perto do travessão esquerdo do gol de Marcelo Xuxa. Dois minutos depois, nova chance de empate. Valério chutou na trave e, no rebote, o goleiro salvou em cima da linha. O clima era tenso, clássico muito nervoso, prova disso fora os incríveis  oito cartões amarelos  distribuídos entre as equipes.

Na segunda etapa o clima não diminui, mesmo com os dois times repletos de cartões amarelos as equipes seguiam com os ânimos exaltados, logo aos 2 minutos Sérgio Andrade cometeu falta violenta em  Fabrí­cio, resultado segundo cartão amarelo do jogador estrelense após aplicar carrinho. Enquanto o Estrela ainda tentava se reorganizar com 10 em campo,  Valério de cabeça empatou aos 04. Após o gol o Cachoeiro dominou as ações, prova disso veio aos 20, quando Samarone virou a partida. O placar não se modificou mais e o Cachoeiro venceu o Estrela por 2 a 1 de virada e despachou o rival na briga pela Copa do Brasil, alegria em dobro para o primeiro campeão capixaba do interior.

João Daroz Estádio do Ipiranga palco da batalha dos grandes rivais 

Na fase seguinte o Cachoeiro teve a vida infinitamente mais fácil contra o São Mateus, na partida de ida simplesmente não teve o mínimo de dó nem dificuldade do Pitbull do Norte, aplicou incríveis 10x1 carimbando a vaga para a grande final contra o Riachuelo não precisou disputar essa fase por ter sido beneficiado em um sorteio que o colocou direto an final. Na partida de volta nada de gols, e nem precisava depois dos 11 da partida de ida.

O Cachoeiro dirigido pelo treinador China, foi a campo com: Dirley; Carlos, Chagas, Ditinho e Adauto; Marcão, Carlos André, Samarone e André Biquinho; Fábio Vigo e Valério.

O Riachuelo do técnico  Coqui  foi a campo com: Marcioné­lio; Gileno, Rodrigo, Hudson e Sena; Eduardo, Marlon, Chiquinho e Evaldo; Elias e Mandi.  

Não se tem detalhes das duas partidas finais, mas o que sabemos é que na partida de ida no João Daroz o Cachoeiro deu um salto enorme rumo ao título da Seletiva Capixaba ao golear o Riachuelo por 4x1. Na partida de volta o Riachuelo precisava vencer por até 3 gols de diferença, mas não conseguiu a façanha, a partida ficou no 1x1 e o Cachoeiro fazia a festa em Barra do Riacho e garantia o título da Seletiva e a vaga inédita na Copa do Brasil 2001 ao lado da Desportiva.

Na Copa do Brasil o clube capixaba engrossou o caldo contra o Fluminense/RJ. Na partida de ida no Espírito Santo os cariocas venceram por 1x0. Na volta no Estádio do Maracanã o Cacheiro chegou abrir o placar assustando os cariocas que em 1999 haviam perdido para o Serra neste mesmo estádio na Série C do brasileiro, André Biquinho marcou, mas não segurou a vitória e acabou sofrendo a virada para 2x1. Mas aquele time do Cachoeiro montado por Jackson Rangel que era jornalista era um timaço. Depois de 1948 foi o mais forte.





Quer saber mais sobre os participantes?

Cachoeiro Futebol Clube

Esporte Clube Riachuelo

Estrela do Norte Futebol Clube 

Sociedade Desportiva Serra Futebol Clube

Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus

Rio Branco Atlético Clube

Sociedade Esportiva Santa Maria

Linhares Esporte Clube


domingo, 16 de agosto de 2020

Brasileiro 1979, recorde de clubes capixabas na Série A

Em 1979 o Campeonato Brasileiro da Série A contou com 94 participantes, entre eles 3 do Espírito Santo. A competição começou em  16 de setembro e acabou em  23 de dezembro,
foram 1361 gols em 583 partidas, média de 2,33 gol(o)s por partida, o campeão foi o Internacional, que chegava ao tricampeonato, o vice-campeão foi o Vasco da Gama,
César  do América-RJ artilheiro com 13 gols, na fase inicial o Cruzeiro-MG foi melhor ataque com 21  gols marcados, melhor defesa Brasil de Pelotas-RS e Campinense-PB com 4 gols sofridos. São não tiveram mais equipes graças a Santos, São Paulo, Corinthians e Portuguesa que boicotaram a competição por discordar do calendário que faria as equipes jogar o Brasileiro e o Paulista ao mesmo tempo.
Os capixabas participantes foram Desportiva Ferroviária atual campeã capixaba, Rio Branco  e Colatina, este último a única equipe capixaba do interior a jogar a primeira divisão do Brasil.
Desportiva e Colatina caíram na mesma chave, a B com Grêmio Maringá e Operário ambos do Paraná, Brasil de Pelotas, São Paulo e Caxias do Rio Grande de Sul, Caldense de Minas Gerais, Criciúma e Chapecoense de Santa Catarina, já o Rio Branco para seu azar ficou "sozinho" na Chave G que era muito forte com Internacional e Grêmio do Rio Grande do Sul, Operário do Mato Grosso do Sul, Santa Cruz e Sport de Pernambuco, Atlético e Coritiba do Paraná e Figueirense de Santa Catarina.
As 10 equipes se enfrentavam em turno único dentro de suas chaves e os 5 primeiros avançavam na chave de Desportiva e Colatina. Na chave do Rio Branco das 10  equipes 8 avançariam de fase. 

Rio Branco Atlético Clube

Associação Desportiva Ferroviária

Associação Atlética Colatina





A competição :
  
23/09/1979 - Domingo
 As 3 equipes foram a campo. Colatina estreou em casa com 0x0 contra o Brasil de Pelotas no Justiniano de Melo e Silva, já a Desportiva foi até Maringá e perdeu para o Grêmio por 2x0, Rio Branco foi pior ainda sofrendo um 4x0 para o Operário em Campo Grande no MS. Início nada animador para os capixabas. 

26/09/1979 - Quarta-feira
A Desportiva foi o único capixaba entrar em campo, e fez bonito, foi até Aldo Dapuzzo no Rio Grande do Sul e derrotou o São Paulo/RS por 2x1, os 3 gols da partida foram de grenás. Aos 30 minutos Dario atacante grená marcou contra, aos 20 já no 2º tempo Cacildo igualou. O tento da vitória foi marcado aos 42 minutos  justamente por Dario que começou como vilão e terminou como herói.

29/09/1979 - Sábado
Foi a estreia da Desportiva em casa, acabou terminando com um 0x0 sem graça contra Chapecoense.
30/09/1979 - Domingo
Colatina joga mais uma vez em casa, e novamente decepciona, acaba perdendo por 0x1 para o São Paulo-/RS que se recupera da derrota pra Tiva.
No mesmo dia o Rio Branco consegue um ótimo empate em 0x0 com o Grêmio jogando no Eng Araripe.

03/10/1979 - Quarta-feira
Mais uma vez o Colatina jogando no Justiniano Melo e Silva e novamente não consegue vencer, empate em 1x1 com a Chapecoense.
Rio Branco novamente no Araripe empata, agora em 1x1 com Atlético/PR.

06/10/1979 - Sábado
A Desportiva em casa vence mais uma, aplica 2x0 sobre o Operário/PR, já o Rio Branco desencanta e vence a primeira 2x0 sobre Sport Recife também no Araripe, esta vitória colocava o capa preta pela primeira vez na zona de classificação para a fase seguinte

10/10/1979 - Quarta-feira
Enquanto o Colatina enfim fazia sua primeira partida fora de casa e perdia para o Grêmio Maringá por 2x0 no Paraná, o Rio Branco também perdia em sua estreia fora por 3x1 para o América/RJ.

14/10/1979 - Domingo
Outra derrota do "Colá" fora de casa, 1x0 para o Operário no Paraná.

17/10/1979 - Quarta-feira
Enquanto a Desportiva vencia o Criciúma em casa por 1x0, Colatina perdia por 0x1 para o Caxias em casa.


20/10/1979 - Sábado
O Colatina surpreende e derrota o Criciúma em Santa Catarina por 0x1 e enfim vence sua primeira partida na Série A, Luiz Carlos aos 42 do 2º tempo foi o nome do herói. Já a Desportiva trás um empate em 1x1 com o Brasil em Pelotas. Já o Rio Branco trazia empate em 1x1 do Paraná contra o Coritiba. 

23/10/1979 - Terça-feira
Nova vitória da Desportiva que brigava pela liderança da chave, 2x0 na Caldense em Cariacica, esta vitória deixava a equipe grená com os dois pés na fase seguinte. No mesmo dia Rio Branco ficava no 1x1 com Figueirense no Espírito Santo e perdia a chance de entrar no G5. 

28/10/1979 - Domingo
A classificação da veio justamente contra o Colatina, após o 0x0 no Justiniano de Melo e Silva a Desportiva chegava aos 10 pontos e abocanhava uma das 5 vagas, o Colatina praticamente dava adeus as chances de classificação. O Rio Branco sofria uma goleada de 5x1 do Inter em Porto Alegre e também estava quase eliminado.


03/11/1979 - Sábado
Chega a última rodada da 1ª fase, Colatina já eliminado é goleado por 3x0 pela Caldense em Caldas Novas MG, a Desportiva confirma a crescente e vence Caxias por 2x1 em Jardim América, e encerra sua participação na 2º colocação da chave com 13 pontos em 9 partidas, 5 vitórias, 3 empates e apenas 1 derrota, 10 gols a favor contra 5 sofridos, saldo de +5. Colatina encerra com   5 pontos em  9 jogos, 1 vitórias, 3 empates, 5 derrotas, 2 gols marcados , 9 sofridos, saldo de -7. O Rio Branco  chegava com 6 pontos contra 8 do Santa Cruz, adversário da última rodada, 7 do Atlético/PR e Figueirense que se enfrentariam e 7 do Coritiba. Ou seja o Rio Branco dependia apenas de suas próprias forças, mas o "Santa" também. Aos 15 o Rio Branco abriu placar com Baiano e chegava ao resultado que precisava para avançar, mas aos 12 do 2º tempo  Paulo César empatou, e agora era o Santa que avançava, aos 26 Da Silva fez 2x1 Rio Branco, mas nem deu tempo de comemorar, na saída de bola Joãozinho empatou novamente, Cidinho aos 37 virou para o tricolor pernambucano deixando time capixaba mais longe da vaga, aos 40 Baiano empatou dando esperanças, mas ficou nisso mesmo,  após um jogaço o empate em 3x3 classificou os pernambucanos eliminando os capixabas, o Rio Branco 7 pontos em 9 jogos, venceu apenas 1, empatou 5, perdeu 3, marcou 10 vezes, sofreu 18 vezes tendo saldo de -8.

Segunda fase :
Com apenas a Desportiva representando o Espírito Santo na competição, vem a segunda fase. Anapolina/GO, Goytacaz/RJ, Atlético/PR, Internacional/RS, Internacional de Limeira/SP, São Paulo/RS e Caldense/MG seriam os rivais na disputa. As 8 equipes jogariam em turno único avançando apenas os 2 primeiros
08 de novembro Quinta-feira
A caminhada tem início em casa contra a Internacional de Limeira-SP, jogo mais duro que se imaginava,  Desportiva  2x2 Internacional/SP, o visitante fez 1x0(logo aos 9 de jogo), aos 16 Vicente Cruz empatou, mas já no 2º tempo a Inter aos 20 voltou ficar na frente, aos 24 minutos  Célio empatou, final 2x2 no Araripe.

11/11/1979  Domingo
De novo em casa agora a Desportiva soube aproveitar melhor o fator casa e com gols de Zuza e Orlando venceu o Anapolina por 2x1.

15/11/1979  Quinta-feira
Jogando em Campos no Godofredo Cruz no Rio de Janeiro a Desportiva cresce pra cima do Goytacaz e vence por 1x0 gol de Silva, a Desportiva está empatada com Internaciol-RS e Atlético-PR na liderança com 5 pontos cada.


18/11/1979  Domingo
Em uma partida de 4 pontos(a vitória não valia 3 ainda) a Desportiva encarava o Atlético-PR no Engº Araripe, e com gol de Celio o time grená venceu por 1x0 e agora entrava no G-2 que dava vaga para a próxima fase. Na verdade a Desportiva assumia a liderança da chave com 7 pontos contra 6 do Inter e 5 do Atlético.

21/11/1979  Quarta-feira
A derrota para a Caldense em Minas Gerais pelo placar mínimo ligava o sinal de alerta, mesmo assim ao final da rodada a Desportiva ainda era líder da chave, mas agora tinha companhia da Inter-SP e do Inter-RS com os mesmos 7 pontos.

25/11/1979  Domingo
Esta partida contra o Internacional em Porto Alegre foi uma verdadeira tragédia, e nem digo isso por causa da derrota por 4x0, digo isso pelo acidente que encerrou de forma prematura a carreira de Zé Rios jogador grená, ele ao subir para cortar um cruzamento foi atingido por Bira do Inter e teve traumatismo craniano, ele caiu tendo convulsões no gramado, aquilo abalou demais o elenco da Desportiva, com o companheiro entre a vida e a morte no hospital alguns atletas nem queria voltar para o segundo tempo, a partida não interessava mais aos grenás, apenas saber se Zé Rios sobreviveria. 


28/11/1979  Quarta-feira
Rodada final desta fase, a Desportiva havia caído para 4ª posição e já não dependia mais de suas forças para avançar, com 7 pontos precisava vencer e torcer contra Atlético-PR e Inter de Limeira. A Desportiva fez e com louvor a sua parte, aplicou sua maior goleada na 1º divisão acachapantes 4x0 sobre o São Paulo-RS , Dario aos 14, Célio aos 20, Dário novamente aos 24 e Evandro aos 39 construíram a goleada grená. na outra partida que interessava diretamente aos capixabas a Inter perdiam Limeira para o Internacional por 1x0, resultado que daria a classificação para a Desportiva, mas estranhamente só o Atlético jogaria sua partida na quinta feira já sabendo o resultado da Desportiva, quando o correto eram todos os jogos serem no mesmo dia e horário, a Caldense já eliminada não tinha mais motivação direta em vencer sabendo que mesmo derrotando o Atlético não passaria a Desportiva, o time paranaense venceu por 1x0 e avançou. 
Entre 94 clubes a Desportiva Ferroviária foi o 18º. 
16 jogos 09 vitórias, 04 empates, 03 derrotas, 20 gols marcados contra 13 sofridos, saldo positivo de 07.

Melhor participante a Desportiva, na foto no título contra o América em Linhares